Read More

Anunciada linha de crédito para energia solar voltada a pessoas físicas.

Na segunda semana de novembro, a Caixa Econômica Federal anunciou que lançará uma nova linha de crédito para pessoas físicas, voltada para o financiamento do Sistema Fotovoltaico em residências.
Esse novo crédito pessoal, Caixa Energia Renovável, terá taxas a partir de 1,17% e poderá até financiar 100% do projeto de aquisição do Sistema Fotovoltaico. Com o anúncio, a nova linha de crédito deve chegar em breve as agências, embora não tenha sido divulgado nenhuma data específica.
Quanto ao prazo para o pagamento, ele poderá ser feito em até 60 meses, com carência de até 6 meses para a primeira parcela. Tendo duas modalidades que são: Sem garantias e Caução de Aplicações Financeiras de Renda Fixa.
E além desse novo projeto para pessoas físicas, a Caixa já vem oferecendo outras três linhas de crédito voltadas à empresa, como o MPE Ecoeficiência, que financia aquisição de maquinário e equipamentos que reduzem a geração e emissão de poluentes. E outras duas voltadas ao Agronegócio, que são: Agricultura de Baixo Carbono (ABC) e Inovagro.

Read More

Geração de energia solar deve aumentar 67% em 2021

A produção de energia solar fotovoltaica deve ter uma alta de 67%, chegando a 18 TWh em 2021, em relação aos 10,7 TWh verificados em 2020. Deste total, a GD (geração distribuída) terá o maior crescimento, gerando 10,8 TWh em 2021, contra 4,8 TWh em 2020, um aumento de cerca de 125%.

A seguinte nota foi divulgada no Boletim Mensal de Energia de agosto, realizado pelo DIE (Departamento de Informações e Estudos Energéticos), da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético do MME (Ministério de Minas e Energia).

“Com as informações disponíveis até 27/10, estima-se que as fontes fósseis terão expansão acima de 10% em 2021, por duas razões principais: recuperação de recuos ocorridos em 2020 devido à pandemia do COVID (transportes e indústria) e maior geração elétrica térmica devida à seca que se agravou em 2021.”
Para a Oferta Interna de Energia Elétrica (OIEE)** de 2021 é esperado um aumento de 4,0%, com as não renováveis crescendo acima de 50%. As renováveis devem perder 7 pontos percentuais.
O objetivo do boletim é o de acompanhar um conjunto de variáveis energéticas e não energéticas capazes de permitir razoável estimativa do comportamento mensal e acumulado da demanda total de energia do Brasil.
 (*) Oferta Interna de Energia (OIE), ou demanda brasileria de energia, representa a energia necessária para movimentar a economia de um país ou região, num período de tempo – inclui o consumo final de energia nos setores econômicos e residencial, as perdas no transporte e distribuição, as perdas nos processos de transformação de energia e o consumo próprio do setor energético.
(**) Os dados de 2020 da OIE e da OIEE refletem os resultados do Ciclo 2021 do Balanço Energético Nacional (BEN), finalizado pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), com a parceria da SPE/MME e empresas e agências do Setor Energético.